arquivo

Paola Giovana

Sou catalisadora, capricorniana e artista. Faço o que gosto: crio. Acredito que vá gostar. Sei que ao menos não ficará imune. Minhas armas são irresistíveis: cinema, design, música e literatura.
Paola Giovana tem escrito 26 posts para Paola Giovana

Meu site

Para continuar o ciclo de mudanças e concentrar o acesso aos meus trabalhos, inauguro hoje meu novo site: http://www.paolagiovana.com.br Todos os textos antigos já foram importados para lá, e é lá que publicarei os novos textos à partir de hoje. Bora me fazer uma visita? \o/

2014 – A Virada – Adeus, Ano Novo!

Os anos agora passam sem que seja possível notar a diferença entre os dias 31 de dezembro e 1º de janeiro. A sensação é de um continuum em que a única coisa que se altera, além do último algarismo que escrevemos nas datas, é a quantidade de fracassos que acumulamos. Início de ano, portanto, é … Continuar lendo

Águas

Mergulhar exige preparo. A superfície oferece sinais mais claros e adentrar em águas profundas não é tarefa fácil. Precisamos nos certificar de estarmos usando equipamentos adequados e ter um mínimo de noção de quanto tempo conseguimos ficar sem respirar para observar os mistérios do oceano. Mesmo em águas conhecidas o desafio persiste. O fluxo não … Continuar lendo

Perigo:

Perigo: O meu humor negro é o mais cruel, e divertido.

Fim

Não posso escolher, porque é desertar ou desistir. Penso em muitas coisas que não posso ter agora. Penso nas pessoas que só pensam em ir embora. É preciso saber qual é, exatamente, o problema. O porquê das coisas serem reais e obscuras, dentro do poema. Se não alcanço a tua mão, é que o perdão … Continuar lendo

Mofo

Afasto as roupas, arrasto os versos e, aos poucos, vejo: entre as cartas mofadas, uma relíquia: um outro alguém que era mais eu.

A Fuga

Passa por baixo da cerca, não pode pulá-la. Olha pros lados, disfarça, e caminha displicente. Alcança uma rua movimentada. Há carros, barulho, buzinas. A cidade observa e testemunha a fuga virando a esquina. Ali, onde ninguém deveria te conhecer, um rosto familiar. A moça da TV te sorri, você a leva pro bar. Depois de … Continuar lendo

Heroína

Alguém através de mim quer escrever e se fazer ouvir. Alguma alma aleatória quer grafar randomicamente pedaços de palavras soltas e talvez sutis. Éter, Ester, estrela. Ex-bandida do almanaque envelhecido jogado na rua. Encontrada depois da enxurrada. Amarelada, mofada, podre nas páginas desgastadas e decadentes de mais uma vida esquecida. Ela também já fora heroína.

Vida, Filme Surreal

Eu queria estar ali. Em cada um dos ondes repousam meu afeto e admiração. Feito Deus, onipresente, compartilhando das ternuras e agruras dos bilhões de segundos de cada vida. Não estou, no entanto. E isto me lembra a saudade que tenho das minhas próprias vidas, eu que fui muitas de mim, já neste mesmo corpo. … Continuar lendo

Máquina de Escrever

A proposta do trabalho de Análise Crítica da Arte era fazer um livro-objeto baseado em algum conteúdo que vimos na disciplina. Escolhi a entrevista de Agnès Varda, no Entrevistas – Vol. 3 de Hans Ulrich. Resolvi, como a Agnès, fazer algo que de certa forma aproximasse as pessoas de mim através da obra. Selecionei, então, … Continuar lendo

Quem escreve

Ih! Falei!

Coloque seu email para assinar este blog e receber novos textos por email

Junte-se a 2.008 outros seguidores